Odontologia estética │ Entrevista com especialista

  • 1

Odontologia estética │ Entrevista com especialista

Entrevista do especialista Dr Gustavo Delmondes à revista CAESO sobre Odontologia estética.

Insatisfeito com o seu sorriso?

Especialista em implante dentário e prótese odontológica além de membro da Academia Brasileira de Estética Orofacial, Gustavo, 35 anos, traz à Brasília um conceito diferenciado e inovador, tão popular entre as estrelas globais que fomentou o desejo de pessoas comuns em busca de um rosto perfeito, a odontologia estética.
A estética na odontologia cresceu muito nos últimos tempos com a associação de novas tecnologias, segundo o cirurgião dentista, a odontologia estética sempre existiu. Para Dr. Gustavo a odontologia estética vai muito além do sorriso bonito. Ele fala sobre a decisão do CFO ao autorizar o uso de toxinas e preenchedores (botox®) para harmonização facial e leva em consideração os cuidados que a pessoa precisa ter para realizar esses tratamentos estéticos.

Em sua opinião, Dr, tratamentos terapêuticos e estéticos sempre caminharam juntos?

É comum associarem a odontologia estética a um sorriso bonito, contudo, odontologia estética vai muito além da aparência de um sorriso. Em minha opinião, a estética é terapêutica quando observada da perspectiva psicológica. Ora, uma pessoa com restrições ao sorrir e até de falar pode perder oportunidades em várias áreas da vida e isso necessariamente precisa ser sanado. Quando, repomos ou restauramos um dente, naturalmente estamos tratando com terapia e com estética simultaneamente, considerando que esta restauração ou reposição do dente, o sorriso em questão ficará bem melhor, tanto na funcionalidade quanto na aparência. Por isso esse conceito de “tratamento estético e terapêutico caminham juntos”.

Recentemente, o CFO autorizou o uso de toxinas e preenchedores (botox®) para uso odontológico como recursos para harmonização facial. Foi surpreendente para você?

Dentistas sempre puderam fazer uso dessas substâncias. A diferença é que agora podemos usá-las para fins estéticos, outrora limitados ao uso terapêutico. Em minha opinião, essa limitação era descabível. Como já falei, a estética é terapia também. Em 10 anos fazendo implante dentário, eu posso garantir que o maior efeito que a reabilitação oral causa no paciente é na área social. Não tenho dúvida que a autoestima é um fator importantíssimo para saúde. Há alguns anos que me dedico. à área estética além das cirurgias de reabilitação .Tanto a terapêutica quanto a estética – na minha percepção – se completam. Essa percepção alimentou um estilo de trabalho diferenciado cujo preocupação não é só devolver a função dos dentes como, excepcionalmente, atender ao anseio social do paciente.

O que você diria a alguém que pretende fazer tratamentos estéticos no dentista?

Essa resposta eu começo com a frase do grande Ivo Pitanguy:

“Antes de fazer qualquer intervenção na face, solicito que o paciente vá a um dentista para ver se a estética dentária pode ser melhorada antes da minha cirurgia. Faço isto para que o paciente já rejuvenesça pelo sorriso. Dentes faltando e feios, chamam mais a atenção que uma pele lisinha e sem rugas” (Ivo Pitanguy)

Quero dizer com isso que se você estiver insatisfeita com o seu sorriso ou até com o seu rosto por algum motivo, procure um dentista experiente em estética. A odontologia pode ser determinante na busca do rosto ideal. Chamo a atenção para alguns cuidados básicos. Sem exceção, qualquer procedimento cirúrgico acarreta riscos, portanto, procure profissionais devidamente habilitados e de preferência experientes, mas não deixe de fazer sua avaliação. A avaliação é o primeiro passo para a solução do seu problema odontológico e/ou estético. Mesmo que você decida não iniciar seu tratamento imediatamente, poderá se programar para iniciá-lo em breve.

Agende sua avaliação